Acerca de mim

A minha foto
Poeta por inspiração e imposição da alma... Uma pessoa simples, que vive a vida como se fosse a letra de uma canção, o enredo de um filme, a preparação para uma vida superior, à espera da eternidade e do encontro com o Criador.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

O direito dos filhos à religião

Retiraram-se crucifixos de escolas e outros lugares públicos. Os políticos estão proibidos de falar em Deus, muito menos em Jesus. Os pais não educam os filhos em nenhuma religião porque ir à missa ou equivalente é coisa de totós, assim como rezar é uma prática que deve ser abolida e que não é própria de gente inteligente.
Mas o ser humano tem sede de algo superior. Mais cedo ou mais tarde, os filhos sentem a necessidade de acreditar em algo diferente de fadas e monstrinhos. E como não tiveram quem os introduzisse numa religião que propaga o amor, a caridade e o respeito por si mesmo e pelo próximo (qualquer uma que o faça é boa), quando se deparam com os seguidores fanáticos de uma religião que é tudo menos seguidora da Palavra de Deus, eles não tem bases para se defenderem de uma lavagem cerebral e aderem completamente, achando que estão a defender a honra de um profeta ou do próprio Deus  ao matarem pessoas e destruírem monumentos e cidades.
Ser católico, judeu, evangélico, hindu ou outro é um direito que as crianças têm. Mais tarde, quando tiverem a capacidade de discernimento, até podem mudar de opinião, de religião ou não quererem nenhuma, mas isso faz parte do crescimento e dos direitos da pessoa, serão livres para escolher por conta própria. Os pais devem dar esse direito aos filhos.
Assim como as crianças são iniciadas e influenciadas desde cedo para seguirem e apoiarem clubes de futebol, porque não escolherem para elas uma religião? Pode ser a dos pais, mas se não gostam e já não a seguem, escolham outra. Mas deem-lhes uma, se as amam. Ensinem-lhes a amar, ensinem-lhes o amor fraterno. E, sobretudo, que Deus é amor e que proíbe que se cause dano, seja de que modo for, aos outros, sejam eles quem forem, nossos inimigos até.
Não se deixem influenciar por maus chefes religiosos, padres pedófilos ou pastores gananciosos. Eles são as ovelhas negras que todas as boas famílias têm.
Deem aos vossos filhos a capacidade de amar o outro, a todos e  a cada um. Introduzam-nos numa religião, inscrevam-nos na catequese, acompanhem-nos no crescimento espiritual. Hoje em dia várias religiões têm catequese para adultos, frequentem-na.
No tempo que estamos a viver, uma religião que tem por base o amor é um dos maiores bens que podemos dar aos nossos filhos. Pensem nisto.

Sem comentários: