Acerca de mim

A minha foto
Poeta por inspiração e imposição da alma... Uma pessoa simples, que vive a vida como se fosse a letra de uma canção, o enredo de um filme, a preparação para uma vida superior, à espera da eternidade e do encontro com o Criador.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

O lavrador da arada


Vindo o lavrador da arada,
Encontrou um pobrezinho ;
E o pobrezinho lhe disse:
-Leva-me no teu carrinho.

Deu-lhe a mão o lavrador,
E no seu carro o metia;
Levou-o para a sua casa
Prà melhor sala que tinha.

Mandou-lhe fazer a ceia
Do melhor manjar que havia;
Sentou-o na sua mesa,
Mas o pobre não comia.

As lágrimas eram tantas
Que pela mesa corriam;
Os suspiros eram tantos
Que até a mesa tremia.

Mandou-lhe fazer a cama
Da melhor roupa que tinha:
Por cima damasco roxo,
Por baixo cambraia fina.

Lá pela noite adiante
O pobrezinho gemia;
Levantou-se o lavrador
A ver o que o pobre tinha.

Deu-lhe o coração um baque,
Como ele não ficaria!
Achou-o crucificado
Numa cruz de prata fina.

-Meu Jesus, se eu tal soubera,
Que em minha casa Vos tinha,
Mandava fazer preparos
Do melhor que encontraria.

-Cala-te aí, lavrador,
Não fales com fantasia.
No céu te tenho guardada
Cadeira de prata fina,
Tua mulher a teu lado,
Que também o merecia.

(Da tradição popular)

(Retirado do Livro de Leitura da 3ª classe, Ministério da Educação Nacional)

6 comentários:

Alfa & Ômega disse...

Querida Felipa, gostei imenso do poema que vc postou hoje. diferente.Um grande abraço!

Ailime disse...

Ó amiga Felipa,
Que maravilhosa surpresa!
Recordei com ternura e saudade este belo poema que muitas vezes li e recitei(?)do nosso livrinho da terceira classe.
Também sou do tempo desses encantadores manuais escolares.
Grata por tê-lo trazido à nossa memória.
Beijinhos da
Ailime

Felipa disse...

Amiga Ailime, eu não tive este livro na 3ª classe por um ano, pois apanhei a mudança ocorrida no 25 de abril. Mas a minha irmã mais velha teve-o e eu também ansiava ter um, mas não tive.
Sabia este e outros poemas mais ou menos de cor. Entretanto encontrei há uns anos este livro à venda e comprei-o logo, é uma nova edição mas é em tudo igual ao outro.
Beijinhos

Ailime disse...

Amiga Felipa,
Com um sorriso, pois...a Filipa é bem mais novinha que eu.
Eu sou a mais velha de três manas e a minha irmã mais nova também já não teve estes livros de tempos idos e que me deixaram gratas recordações.
Embora ainda não os tivesse adquirido (que é minha intenção) não é raro que entre numa Livraria e não dê uma espreitadela.
Beijinhos, Filipa, e muito obrigada pela sua atenção.
Com carinho,
Ailime

Felipa disse...

Amiga Ailime, não sou assim tão nova... como lhe disse, não tive o livro da 3ª classe apenas por um ano, mas tive o da 1ª e da 2ª. Ainda tenho o da 2ª classe, o da 1ª foi passado para um primo; a minha sorte para ter o da 2ª foi terem mudado os manuais, pois senão também teria ido para esse primo...
Beijo

JGD disse...

O lavrador da Arada. como me recordo desse poema na minha meninice ( ano lectivo 63/64. Acabei de gravar este poema, cantado e acompanhado por mim à viola. Deixo aqui o link e obrigado por terem colocado este lindo poema que me fez recordar a meninice.

http://www.youtube.com/watch?v=CIHr1Or2LRU