Acerca de mim

A minha foto
Poeta por inspiração e imposição da alma... Uma pessoa simples, que vive a vida como se fosse a letra de uma canção, o enredo de um filme, a preparação para uma vida superior, à espera da eternidade e do encontro com o Criador.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Orações populares de Quinta-feira Santa

Estas são orações por mim recolhidas junto do povo, que adora a Deus da forma que sabe: sinceramente.

QUINTA-FEIRA À BELA-LUZ

Quinta-feira à bela-luz
Padeceu Cristo Jesus
E na sexta ao meio-dia
Pregou-se o Senhor à Cruz.
Herodes lhe respondeu:
Temes tu ou teme a cruz?
Não temo nem temerei
E quem da minha Sagrada Morte se pensar
Trinta e três Credos me rezar
Na hora da sua morte
Tudo quanto me pedir
Tudo lhe hei-de perdoar.

ABRE SANTOS

Abre santos, abre santos
Três dias antes da Páscoa
Veio o Redentor ao mundo
Por seus discípulos mandou chamar;
Um a um os ajuntou
A dois a dois os lavou,
O Senhor lhes perguntou:
Qual de vós é meu irmão
Morre por mim amanhã?
Viraram-se uns para os outros
Nenhum lhe respondeu nada;
Respondeu são João Batista
Que pelas montanhas pregava:
Ó Senhor e ó Senhor!
Eu para vós morrerei
E o cálice da minha amargura
Já para vós preparei.
Amanhã por esta hora
Já o Senhor caminhava
Com a santa Cruz às costas
De madeira bem pesada.
Chegou ao monte calvário
Três Marias lá estavam
Todas três a confessar
Todas três a comungar.
Uma era Madalena
Outra era Virgem pura
Outra era santa Maria
Que de mais alta se punha.
Uma lavava-lhe as mãos
Outra lavava-lhe os pés
Outra amparava-lhe o sangue
Que do seu rosto caía.
O Senhor assim dizia:
O sangue que de Mim sai
Cairá num cálice sagrado,
O homem que o beber
Fica bem-aventurado,
Neste mundo será rei
No outro, anjo coroado.
Quem o sabe não o diz
Quem o ouve não aprende
E no Dia do Juízo
Veremos quem o compreende.

QUINTA-FEIRA DE INDOENÇA

Quinta-feira de indoença
Sua Santa Divindade
Que correu toda a cidade.
O grande peso da Cruz
O caminho dava luz
O Filho de Deus morria
Morria pra nos salvar.
Mas se vós não quereis crer
Assubi àquele outeiro
Que lá o haveis de ver,
Que o sangue dessa rua
Dava fraco sinal.
Ajuda-me aqui, Simão
Sim, Senhor, ajudarei
Que esta Cruz haveis de levar
Às portas de Jerusalém.
Quem esta oração souber
Todos os dias a decorará
Que as portas do céu abertas
A do inferno lá verá.
Quem a sabe não a diz
Quem a ouve não aprende
E no Dia do Juízo
Verá do que ele depende.

VAMOS VER O BOM JESUS

Vamos ver o Bom Jesus
Que de cordas vai atado
Para ser crucificado.
Vai-te embora, ó mau ladrão
Ao ladrão que lhe remistes
Remiste-lhe o coração
Remiste-lhe os sete passos
Da Vossa Morte e Paixão.
Aí adiante mais
Quem me dera uns sinais
Desse Homem que levais.
Esse Homem é Jesus,
Jesus está na cruz
Com três cravos encravados.
São Simão está ao lado
Ao lado, ó meu Jesus
As costas levais abertas
Do grande peso da cruz.
A madeira era verde
Era coisa mui pesada
Cada passada que dava
Cada vez se ajoelhava.
Deitava o joelho ao chão:
Ajuda-me aqui, Simão.
Sim, Senhor, ajudarei
Com as costas da minhálma
Com os olhos do coração
Quinta-feira de indoença
Vós haveis de a levar
Àquele monte Calvário.
Repenicou-se o Calvário
Madalena que teria
Crucificou-se o Senhor
Ó que dores não passaria
Chorai, meus olhos, chorai
Se vos perguntar por Quem
Por Deus, ai Jesus meu
Que morreu nas casas santas
Para sempre Deus. Ámen.

Sem comentários: